quarta-feira, 29 de abril de 2020

Otaciana Pinto, professora e parteira


Otaciana Pinto nasceu no Arraial do Galeão, município de Valença, Bahia, em 14 de julho de 1883. Formada em Megistério, lecionou em várias cidades , como Camurujipe, Santo Sé, Ajuda de Porto Seguro, Capianga, Irecê, Tucano e Gamboa. Em 1925, ainda bem moça, veio morar em Itabuna, "onde ensinou até no meio da rua por falta de sala aula", segundo ela mesma costumava lembrar.

Além de professora, "Mãe Otaciana", como era carinhosamente chamada por todos, diplomou-se na profissão de parteira, onde durante os 54 anos em que viveu em Itabuna fez a quantia surpreendente de 10 mil a 30 partos, feito que a deixava muito feliz. Todos os partos e respectivos nomes dos bebês foram anotados num livro que hoje se encontra guardado pelo genro e pelo neto. Embora nunca tenha se casado, criou dezenas de filhos, e sempre afirmava que a tarefa divina que Deus havia lhe dado de trazer ao mundo tantos seres humanos e de criar alguns, era um presente maior que um casamento.

Mas os feitos dessa mulher que era suave, miúda e ao mesmo tempo forte, não pararam por aí. Otaciana exerceu dois mandatos em Itabuna como vereadora pelo partido PSD. Nunca fez política necessariamente, dizia nunca ter subido a um palanque para fazer comício, que quando percebia já havia sido eleita.

Jubilou-se com 50 anos de profissão no ofício de parteira e professora, mas continou fazendo partos até os 74 anos. Com passinhos miúdos, de formiguinha, lá saía ela, enfrentando sol, chuva, estradas íngremes, empoeiradas, para atender uma parturiente. Nunca reclamou, nunca se recusou a atender ninguém, fosse rico ou pobre, pagante ou não pagante. Otaciana Pinto faleceu em maio de 1987, deixando em Itabuna a saudade de uma mulher que sempre será lembrada com carinho pelas mães que ajudou e pelos milhares "filhos" que trouxe ao mundo pelas suas mãos.

Nenhum comentário: