segunda-feira, 6 de abril de 2020

Banda Energia Azul - Raízes do Cacau


A Região Cacaueira já produziu grandes músicos. Mas curiosamente nunca teve uma produção fonográfica equivalente, com dezenas de lançamentos, como acontece em outras regiões do interior do Brasil (algumas das quais, com centenas de lançamentos). Mas existem as suas pérolas, sim senhor! Uma dessas é o compacto duplo RAÍZES DO CACAU, da banda Energia Azul, lançado em 1984. Liderada pelo talentoso João Veloso, o quarteto sempre teve um som com os dois pés no regionalismo, mas com alguns toques da música Pop e do Rock. Pode-se dizer que é uma espécie de Jethro Tull das terras do cacau.

Para quem viveu em Itabuna e cidades vizinhas nos anos 80, é impossível não ter conhecido o grande "hit" que dá nome ao disco. Tocava em rádios, era obrigatório nas apresentações e também nas emissoras de TV que passaram a surgir desde então. Hoje, nos tempos de Internet, são raras as pessoas que da nova geração que conhecem o som incrível da Energia Azul. Mas esse compacto, que hoje é raridade (nunca lançado em CD, nem nas plataformas digitais) mostra o quanto a banda era bacana, representando com muita propriedade e sensibilidade o espírito da cultura da Região Cacaueira da Bahia.

LADO A
"Sinfonia da Mata" (João Veloso)
"Casco da Lagoa" (Zé Henrique/Toni)

LADO B
"Raízes do Cacau" (João Veloso)
"Guerreiro do Sol" (Zé Henrique/Joan Nascimento)

Joan Nascimento (violão, vocal), João Veloso (flauta transversal, ébano, vocal), Zé Henrique (percusão, vocal) e Marcelo José (percussão, vocal). O disco contou também com participações especiais: Luiz Caldas (viola, guitarra), Carlinhos Marques (baixo), Alfredo Moura (teclados), Cesinha (bateria, congas) e Espiga (percussão).

Ainda na ficha técnica, temos nomes como Tica Simões (coordenação de produção), novamente Luiz Caldas (arranjos e direção musical), Fernando Goudlach e Nestor Madrid (técnicos de gravação e mixagem, além da própria banda Energia Azul (arranjos vocais).

O disco é caprichado não só na musicalidade, mas também na capa, com uma bela foto retratando a "Dança dos Pés/Pisoteio do Cacau), uma cena muitíssimo comum para quem conhece as fazendas de cacau da região. Gravado nos estúdios WR, de Salvador, que na época contava com uma moderníssima mesa de 16 canais, é parte do Programa de Incentivo Cultural mantido pela Prefeitura Municipal de Itabuna, durante o mandato do prefeito Ubaldo Dantas - lembrado até hoje com muita nostalgia pelos artistas, por ter sido provavelmente o mandatário que mais investiu na Cultura na história de Itabuna.

João Veloso faleceu no dia 16 de junho de 2013 em Ituberá, no Baixo-Sul baiano, após quatro anos de tratamento de hepatite e ser acometido por uma cirrose medicamentosa. Muito ouvido nos anos 80 e 90, pouco ouvido hoje, deixou pelo menos esse belo registro, que ainda hoje impressiona os felizardos que possuem esse disquinho.




Nenhum comentário: